Câmara dos Deputados garante que loucura não será motivo para inelegibilidade em 2022

Dispositivo foi incluído no projeto que institui o novo Código Eleitoral e que, se aprovado a tempo, valerá para eleições de 2022.

Imagem: Blog do Briguilino / Blogspot.

Um dispositivo pra lá de inusitado foi incluído no projeto de lei que institui o novo Código Eleitoral.

É a previsão de que a eventual insanidade mental do candidato em nenhuma hipótese levará a inelegibilidade. Mesmo que o cidadão tenha sido interditado para a vida civil, esteja inimputável e não possa, por exemplo, comprar um apartamento ou dirigir um carro.

É o marco eleitoral da insanidade.

Há quem possa pensar que o dispositivo foi escrito especialmente para o presidente Jair Bolsonaro.

Norte pioneiro lança pré-candidatura de Guto ao Senado

Em seu discurso na tarde desta quarta-feira, dia 25, durante evento em Carlópolis, o secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, ao mencionar o Chefe da Casa Civil, Guto Silva, o chamou de senador. Antes, em entrevista ao npdiario, o deputado Alexandre Curi (PSB), antecipou que apoiará o amigo para a câmara alta. Mas, coube ao presidente da Associação dos Municípios do Norte Pioneiro, Hiroshi Kubo(PSD) lançar a pré-candidatura do jovem de Pato Branco ao Senado.

Com entusiasmo, o prefeito de Carlópolis disse que a região já está trabalhando nesses sentido.

Consultado antes do evento, Guto admitiu que tem sido procurado por lideranças de todos os segmentos pedindo que concorra ao cargo, que terá apenas uma vaga disponível, com a saída de Álvaro Dias. O mandato é de oito anos, o maior do país. O pleito está marcado para o dia dois de outubro de 2022.

“Prefeitos e vereadores principalmente têm me procurado, mas quem decidirá será o governador Carlos Massa Ratinho Junior”, assinalou para a reportagem.

O encontro de manhã foi para discutir Angra Doce , projeto que abrange cinco municípios paranaenses (Ribeirão Claro, Carlópolis, Jacarezinho, Siqueira Campos e Salto do Itararé) e dez paulistas (Barão de Antonina, Bernardino de Campos, Canitar, Chavantes, Fartura, Ipaussu, Itaporanga, Piraju, Ourinhos e Timburi). À tarde, foi da Amunorpi, no mesmo local, na Marina Ilha Bela.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, sorria satisfeito toda a vez que se comentou a possibilidade do desafio do colega da Casa Civil.

Pessoas próximas como Juarez Leal Daio, coordenador regional da Casa Civil, e Cassiano Tomaz Salvador, Sub Chefe, só têm elogios ao colega.

Professor universitário, Guto está em seu segundo mandato, é casado com Karina Amadori, tem um casal de filhos, Mariana e Francisco, e iniciou a carreira política como vereador de Pato Branco em 2008.

A primeira vez que admitiu publicamente concorrer foi também no Norte Pioneiro, em Jacarezinho.

Guto é empresário, atuando na área de comércio exterior, rede de varejo e franquias, consultor internacional de empresas, do Sebrae/PR. Como trader e consultor internacional de negócios já esteve em mais de 65 países na Ásia, África, América do Sul, América Central e do Norte, Europa e no Oriente Médio, desenvolvendo canais de abastecimento e estruturação de projetos e realizando negociações comerciais. Morou na Inglaterra, Portugal e Espanha e foi coordenador do CDTIS (Centro de Desenvolvimento de Inovação do Sudoeste).

É graduado em Administração com habilitação para Comércio Exterior, Pós-Graduado em Gestão de Recursos Humanos e tem MBA em Gestão de Negócios pela FAE Business School. Atualmente faz doutorado em Gestão de Negócios pela Universidade Nacional de Misiones/Argentina e também tem Pós-MBA em TrendsInnovation, pela Inova Business School.

Como professor universitário de graduação e pós-graduação, teve artigos e livros utilizados como bibliografia da área internacional e foi citado em mais de 1.000 pesquisas de produção acadêmica, publicou dois livros pela editora Aduaneiras: Logística no Comércio Exterior e Gestão Global.

Iniciou a carreira política em Pato Branco, em 2009, quando foi eleito vereadoro mais votado do município naquela eleição. Exerceu o cargo de subchefe da Casa Civil do Governo do Paraná de 2012 a 2014. Foi eleito deputado estadual em 2014, com 45.313 votos pelo PSC, e reeleito em 2018, pelo PSD, com 66.412 votos, o mais votado do seu partido.

Ainda em seu primeiro mandato, de fevereiro de 2017 a dezembro de 2018, ocupou a vice-presidência da Assembleia Legislativa do Paraná, presidente da Frente Parlamentar de Defesa do Comérciopresidente da Câmara de Comércio Paraná-Rússia e coordenador da Bancada Digital. . Assumiu interinamente a presidência da Casa em 2018, com a licença temporária do titular, deputado Ademar Traiano. Com a eleição de Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) ao Governo do Estado, Guto foi nomeado secretário chefe da Casa Civil, em 2019.

NPDiário.

Guto Silva é uma opção para o Senado em 2022

Vice governador Darci Piana durante reunião com a Controladoria Geral do Estado (CGE) – Na foto, o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva – Curitiba, 27/07/2021 – foto: José Fernando Ogura/AEN.

Com o início das articulações par as eleições de 2022, é comum que candidatos passem a ser lançados para cargos políticos por quem os quer ver naquela posição.

Com o atual Chefe da Casa Civil do governo do Paraná, Deputado Guto Silva, não é diferente.

Em passagem por Maringá, Guto foi “lançado” ao senado pelo deputado Soldado Adriano José, do Partido Verde – PV.

“com toda certeza é o nome mais preparado para ser o nosso senador, e eu tenho firmado esse posicionamento por onde tenho andado no estado do Paraná, ele demonstrou capacidade de gestão, articulação, além de participar ativamente na elaboração dos programas de governo, com atuação ativa na elaboração das políticas públicas do atual governo”.

Tudo depende, é claro, das articulações de seu próprio partido, PSD, e do apoio do atual Governador do Paraná.

Vitória de Anibelli Neto muda cenário político no Paraná

A Chapa 2, capitaneada pelo Deputado Estadual Anibelli Neto, venceu neste sábado as eleições que definiram a nova diretoria do MDB no Paraná.

Com 76% dos votos, a Chapa 2, “MDB de Todos”, foi escolhida para formar a nova executiva estadual, contra 24% dos votos recebidos pela Chapa 1, “Sempre MDB”, liderada pelo do ex-senador Roberto Requião. Brancos e nulos somaram dois votos e 30 delegados (9%) se abstiveram de votar na convenção.

A chapa de Anibelli contou com apoio dos dois deputados federais da legenda, Sérgio Souza e Frangão, e de lideranças históricas do partido, como o ex-governador Orlando Pessuti, os ex-deputados Nereu Moura, Paulo Furiati e Renato Adur, além dos prefeitos Júnior Weiller (Jesuíta), presidente da Associação de Municípios do Paraná, Beto Lunitti, de Toledo e Flavio Zanrosso, de Tomazina.

Contraponto

A composição com lideranças do MDB que participam da base de apoio do Governo sela o posicionamento do MDB no sentido do provável apoio à reeleição do atual governador do Estado do Paraná, Ratinho Júnior, em 2022 e o desembarque do partido da oposição.

Bateu o desespero

A live semanal do Presidente da República no Youtube revela o tamanho do desespero presidencial com a volta do ex-presidente barbudo, líder nas pesquisas de intenção de votos.

Em vez de anunciar medidas para recuperar o poder de compra da população, que já se encontra reduzido drasticamente durante seu mandato, o Presidente insiste em paranoias alheias a realidade.

Faltam projetos para o País e sobram “urnas fraudadas”.

O mundo imaginário em que o Presidente vive termina na realidade que o povo encontra no caixa do supermercado.

Comissão da reforma eleitoral irá discutir prazo de desincompatibilização de servidores

Deputada Renata Abreu. Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados, Agência Câmara de Notícias.

Prazos e formas da chamada desincompatibilização, tempo anterior às eleições no qual devem se licenciar agentes públicos e servidores, será discutida em audiências públicas realizadas pela comissão da reforma eleitoral na Câmara.

“Propomos que as reuniões ordinárias aconteçam uma vez por semana, preferencialmente às quartas-feiras, enquanto as audiências públicas poderiam ocorrer duas vezes por semana, nas quintas à tarde e sextas pela manhã”, sugeriu a relatora da comissão, Renata Abreu (Podemos-SP).

A comissão é composta por 34 membros titulares e 34 suplentes e terá até 40 sessões para emitir um parecer.

Propostas para a reforma eleitoral podem ser enviadas diretamente para os Deputados.

Participam da comissão os Deputados Luis Tibé (Avante-MG), Presidente, Renata Abreu (Podemos-SP), relatora, e Pedro Lupion (DEM).

As informações de contato de cada participante encontram-se disponíveis no site da Câmara dos Deputados.

Prazo de desincompatibilização dos servidores tornou-se inefetivo com a discussão política na Internet


Exmos. Senhores Deputados Federais Luis Tibé (Avante), Renata Abreu (Podemos), Pedro Lupion (DEM)
Comissão Especial de reforma da Lei Eleitoral
Câmara dos Deputados

A desincompatibilização dos servidores públicos federais, estaduais ou municipais com prazos de até seis meses antes do dia das eleições é uma regra arcaica e desatualizada, que apenas onera os cofres públicos sem trazer qualquer benefício ao pleito eleitoral. Principalmente em um momento em que o debate político ocorre dia após dia através da Internet.

Não são raros os casos de servidores que se utilizam do prazo de desincompatibilização para usufruir de licenças remuneradas, prejudicando o direito e a imagem dos servidores que efetivamente participam do debate político e do pleito eleitoral.

A reforma da lei eleitoral não pode deixar de abordar esse tema e reduzir o prazo de desincompatibilização ao mínimo necessário, partindo do registro da candidatura até o dia das eleições.

Por favor, incluam esse tema na reforma da Lei Eleitoral.