Lealdade à Instituição

Existem várias forma de organiza uma quadrinha usando a autoridade estatal.

Uma delas é reunir uma tropa de servidores inaptos mas leais a “instituição”.

Se o número de cabeças for grande e o raciocínio crítico for inexistente, se conquista o controle total da instituição.

Não é por acaso que as vezes a polícia precisa de ônibus para cumprir mandados de prisão.

Sobrepeso indica acesso suficiente à alimentos

O g1 apresentou uma reportagem sobre como apenas uma em cada quaro crianças atendidas pela rede de atenção básica à saúde conseguem realizar ao menos três refeições por dia.

Para ilustrar a situação de insegurança alimentar vivida por essas famílias, o g1 entrevistou pais e mães e mostrou uma geladeira completamente vazia.

A incoerência ficou a cargo do sobrepeso visível dos pais das crianças, todos muito acima do peso.

Não convence afirmar que pessoas acima do peso passam fome. Podem ter fome, sim, como todos têm, mas sobrepeso não é sintoma de insegurança alimentar e, com certeza, não é responsabilidade do Governo.

Alimentação saudável, equilibrada, do mesmo modo, não depende de poder aquisitivo. Produtos básicos no Brasil são muito mais baratos do que os produtos altamente industrializados. É mais barato um quilo de frango do que um quilo de salsichas.

Se os pais estão muito acima do peso e as crianças não tem comida, é preciso investigar o que de fato está acontecendo.

É falta de tempo para preparar alimentos para os filhos? Excesso de refeições fora do domicílio? Maus tratos familiares? Bolachas, biscoitos e salgadinhos ficam de fora da contabilidade do SUS e não são considerados alimentos?

Alegria com o Dólar não dura 24h

Após um sequência de baixas no final de junho, o Dólar voltou a subir forte nesta segunda-feira.

A moeda norte-americana encerrou a sessão em alta de 2,63%, cotada a R$ 5,2501.

A alta está atrelada aumento nos casos globais de Covid-19 e novas preocupações sobre a desaceleração do crescimento econômico. Além da chamada estagflação: baixo crescimento econômico com preços mais altos. O quê coroe o poder e compra diante da ausência do aumento da oferta de produtos e serviços.

Patriotismo puro em um país como o Brasil

“Avise ao PR [presidente da República] que está rolando um esquema de corrupção pesado na aquisição das vacinas dentro do Ministério da Saúde. Tenho provas e as testemunhas. Sacanagem da porra… a pressão toda sobre o presidente e esses ‘FDPs’ roubando.”

O auxiliar do presidente respondeu apenas com uma bandeira do Brasil.

🇧🇷

Nota de 200 Reais facilita corrupção no Brasil

Bastou o ministro da economia, Paulo Guedes, insistir mais uma vez na criação de um imposto sobre transações digitais, aos moldes da antiga CPMF, que a equipe do Banco Central correu encontrar uma desculpa para imprimir mais dinheiro vivo para quem quer escapar do novo imposto digital.

A culpa, segundo o Conselho Monetário Nacional — CMN, é do “ entesouramento “. Um movimento econômico em que a população, em meio a pandemia, teria optado por guardar mais dinheiro em casa, em espécie, inclusive do auxilio emergencial.

A solução, segundo o CMN, seria assim imprimir cédulas maiores. Reduzindo, ao mesmo tempo, a impressão de cédulas menores. Equilibrando o meio circulante (dinheiro) à realidade financeira do nacional.

A má impressão, no entanto, foi unânime. Desde a dificuldade previsível em promover a circulação da nova nota no comércio em geral, até a facilitação das transações ilegais que sustentam a corrupção.

Mas um outro motivo oculto nas notas de 200 ninguém viu. Tirar o espetáculo das operações com fotos de pilhas de dinheiro enfileirado do Ministério Público e da Polícia Federal.

Com notas de 200, é preciso apenas 100 para juntar R$ 20.000.

Originally published at https://marcelkroetz.com.br on August 20, 2020.

Gasto com servidores ativos no Brasil é menor do que com juros da dívida pública

O suposto alto gasto com o funcionalismo público entrou na mira do Ministro da Economia, Paulo Guedes, como a origem do fracasso do governo na sua política de não geração de emprego e não atração de investimentos para o país.

Segundo um estudo do Instituto neoliberal Milenium, do qual Paulo Guedes foi um dos fundadores, o gasto total com funcionalismo no Brasil chega a “graves” 13,7% do PIB. (frente a 8,7% do PIB gastos com juros da dívida nacional).

O estudo é uma salada de imprecisão e derrapadas estatísticas. Confunde folha de pagamento com aposentadorias. Compara aumento de despesas ao longo de mais de dez anos sem correção pela infração.

Se divulgado corretamente, o resultado mostra exatamente o oposto: paga-se mal ao trabalhador na iniciativa privada e gasta-se pouco com serviços públicos no Brasil.

Com 44% dos gastos destinados ao pagamento de inativos, gasta-se menos com servidores ativos do que com juros da dívida pública.

É fácil entender a partir desse estudo porque a economia vai de mal no Brasil.

Jair Bolsonaro procurou um economista para o Ministério da Economia, mas encontrou um charlatão.

Em vez de procurar saídas para a derrocada econômica do país, Paulo Guedes ataca servidores para garantir a renda crescente dos bancos.

Originally published at https://marcelkroetz.com.br on August 11, 2020.